Written by 08:20 Cultura, Exposição e Mostra, Notícias Views: 4

Mestre Zuza inaugura estande na 24ª Fenearte

No espaço, montado na Alameda dos Mestres, o público poderá encontrar as peças de barro em vários tamanhos, cores e detalhes do artista.

Foto do Mestre Zuza de Tracunhaém com uma das suas obras.

Nesta quarta-feira, dia 03 de julho, o Mestre Zuza de Tracunhaém, de 65 anos, inaugurou um estande na 24ª edição da Fenearte, maior feira de artesanato da América Latina.

A visitação iniciou-se, oficialmente, às 14h. 

No espaço, montado na Alameda dos Mestres, considerado a porta de entrada para o evento, o público poderá encontrar suas peças de barro em vários tamanhos, cores, detalhes e preços.

A organização estima que, até o dia 14 de julho, mais de 300 mil visitantes passem pelo local.

Este ano, a Fenearte traz o tema Sons do criar — artesanato que toca a gente, uma escolha que ressoa profundamente na trajetória artística do ceramista, que há 50 anos dedica sua vida ao ofício de artesão.

Seu legado cultural, que já foi comparado ao de grandes mestres, como o ceramista e pintor espanhol Pablo Picasso, é a continuidade de uma linhagem familiar da Família Batista, que há mais de cem anos contribui para a produção do artesanato em barro, em Pernambuco.

Ao todo, sua família era composta por 13 pessoas, incluindo seus pais e onze irmãos, todos eles artesãos, mas, atualmente, restam apenas ele e mais dois.

Mestre Zuza vai muito além de um ceramista, ele é um guardião do patrimônio cultural, cujo trabalho é reconhecido nacional e internacionalmente pela sua contribuição à arte popular brasileira.

Suas esculturas, carregadas de significados e memórias, ecoam o “som do criar”, tocando a alma de quem contempla e perpetua a rica herança cultural do Nordeste.

Formado em história, e recentemente, condecorado como Mestre em Notório Saber em Cultura Popular, promovido pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade de Pernambuco (UPE), Mestre Zuza tem uma influência significativa na formação de novos artistas, inspirando jovens, mulheres, e comunidades quilombolas e indígenas, de várias regiões do estado, na valorização de suas próprias raízes culturais.

A visitação ao estande do Mestre Zuza de Tracunhaém, na Alameda dos Mestres, da Fenearte, pode ser feita de segunda a sexta-feira, das 14h às 22h.

Outra opção é aos sábados e domingos, das 10h às 22h.

(Visited 4 times, 1 visits today)
Close
Pular para o conteúdo