Written by 07:14 Cultura, Esporte, Paradesporto e E-sport, Notícias, TV, Filmes e Séries Views: 102

Elder Fraga contará história do goleiro Lalá nos gramados

O filme Ninguém é Campeão Sozinho apresentará confronto épico entre Santos e Botafogo que entrou nos anais da história do esporte e misturou futebol e arte.

Foto do ex-goleiro Lalá relembrando momentos no Santos F.C.

No cenário mágico onde o futebol e a arte se encontravam, uma jornada épica se desenrolou nos gramados do Estádio Riazor, em La Coruña, na Espanha.

Era o domingo de sonho, 21 de junho de 1959, onde o Santos de Pelé enfrentou o Botafogo de Garrincha, em um embate que transcendia a mera competição esportiva.

No filme Ninguém é Campeão Sozinho, que está sendo produzido por Fraga Films, Primeiro Olho Filmes e Décimoitavo Produções, a vida do lendário goleiro Lalá é recontada, entrelaçada com a narrativa do temido Pepe, o “Canhão da Vila”.

Ambos personagens centrais em um dos momentos mais marcantes da história do futebol.

Neste embate histórico, o Santos, representado por uma constelação de talentos, enfrentou o Botafogo, uma equipe igualmente estelar.

O placar final de 4 a 1 a favor do Santos ecoou pelos corredores do tempo, com Pepe balançando as redes adversárias duas vezes, enquanto Pelé e Coutinho também deixaram suas marcas.

Do outro lado, Zagallo encontrou o caminho do gol para o Botafogo, mas não foi o suficiente para superar a imponente presença do Santos.

O Santos, sob a liderança de Lalá entre as traves, mostrou sua força e habilidade.

Com jogadores lendários como Pelé, Jair Rosa Pinto, e o próprio Pepe, o time não apenas dominou o campo, mas também cativou os corações dos espectadores com seu estilo de jogo único e envolvente.

A formação tática, cuidadosamente montada, foi uma sinfonia de movimento e estratégia, moldada por mentes sólidas do futebol brasileiro.

Ninguém é Campeão Sozinho não apenas revive um momento histórico, mas também celebra o legado de jogadores que transcenderam o esporte para se tornarem ícones culturais.

O filme ainda conta com participações de José Macia (Pepe,o canhão da vila), Davi Pierin (Lalá criança) e Gustavo Casanova (Lalá Jovem).

Lalá e Pepe são mais do que meros nomes em uma escalada; são símbolos de uma era onde o futebol era arte e os jogadores, artistas em campo.

O goleiro

Foto da equipe do Santos Futebol Clube com o goleiro Lalá – Crédito: Wesley Miranda

Carlos Pierin, o Lalá, foi goleiro do Santos, onde jogou com Pelé, Pepe e Coutinho no time histórico por três anos entre 1959 e 1961.

Lalá conquistou diversos títulos pelo Santos como:

  • Campeão do Torneio Teresa Herrera (1959);
  • Campeão do Torneio de Valência (1959);
  • Campeão Paulista (1960);
  • Campeão do Triangular da Costa Rica (1961);
  • Campeão do Torneio Pentagonal de Guadalajara (1961);
  • Campeão do V Torneio de Paris (1961);
  • Campeão do Torneio da Itália (1961);
  • Bicampeão Paulista (1961);

Já os títulos pelo Atlas do México são campeão da Copa México e Campeão dos Campeões, ambos em 1962.

Ficha Técnica

Direção: Elder Fraga;

Direção de Fotografia: Tomires Ribeiro;

Roteiro e Direção de Produção: Leonardo Granado;

Historiador, pesquisa e produção: Gabriel Pierin;

Direção de Arte: Elder Fraga;

Making of e Fotografia Still: Fraga Films, Primeiro Olho Filmes e Décimoitavo Produções;

Técnico de som direto: Luiz Luna;

Desenho de Som: Junior Aragaki;

Drone: Jairo Mattos;

Arte Cartaz: Júlio Quinan;

Montagem: Elder Fraga e Tomires Ribeiro;

Assessoria de imprensa: Carlos Augusto Rodrigues;

Produção executiva: Gabriela Wazlawick, Elder Fraga, Tomires Ribeiro e Leonardo Granado.

(Visited 102 times, 1 visits today)
Close
Pular para o conteúdo