Written by 07:09 Cultura, Entrevista, Música Views: 5

Bate-papo com Clarissa Chaves

Entrevistamos a cantora carioca que vem ressignificando sua carreira musical, agora solo, e que está repleta de novidades.

Foto da entrevistada Clarissa Chaves.

A cantora Clarissa Chaves, que vem ressignificando sua carreira musical, agora solo, apresenta o show Na Luz no próximo dia25, das 21h30 às 23h, no Galeria Café Rio, em Ipanema, onde apresenta novo repertório e autorais, que fazem parte do álbum a ser lançado em breve.

O primeiro single de trabalho estará em todas as plataformas e YouTube até o final de novembro, com produção artística/musical de Luiz Lopez.

E para saber um pouco mais sobre sua carreira, novos trabalhos musicais e muito mais que conversamos um pouco com a cantora carioca.

Victor Hugo Cavalcante: Primeiro agradeço por nos conceder esta entrevista e gostaria de começar perguntando: Como surgiu sua relação com a música e com o gênero musical tocado por você?

Clarissa Chaves: Eu que agradeço! Sempre fui conectada com a música.

Meu pai era cantor, e minha avó sempre foi uma amante da MPB.

Já a minha mãe me carregava também para a igreja e eu amava a parte do louvor. Independente de gênero, se a letra ou instrumental me tocavam de alguma forma, eu estava escutando!

Além de crescer escutando MPB, eu também achei outra parte sozinha da minha identidade musical, o pop.

Sou muito fã de tudo que é pop, e muito da minha influência de música veio desse gênero.

Victor Hugo Cavalcante: No próximo dia 25 você fará um show na Galeria Café Rio que marca um marco importante em sua carreira. Como você escolheu o repertório e quais elementos especiais os espectadores podem antecipar durante a apresentação?

Escolhi conforme o lugar e minha identidade, que tem tudo a ver!

As pessoas podem esperar um show mais interpretado e despojado.

Victor Hugo Cavalcante: Na Luz representa uma nova fase em sua carreira musical. Pode nos contar um pouco sobre a inspiração por trás deste show e como ele reflete sua evolução artística como cantora solo?

Esse show será especial.

Estou em um momento de extrema evolução e amadurecimento.

Creio que o show Na Luz trará um lado meu que nem tenho tanto acesso, e isso que me faz vibrar música.

É incrível que cada show seja uma barreira a menos e um autoconhecimento a mais da artista que habita em mim.

Victor Hugo Cavalcante: O show Na Luz abrange uma variedade de gêneros musicais, desde pop nacional e internacional até R & B, MPB e rock alternativo. Como você equilibra essas influências diversas para criar uma experiência coesa e única para o público?

Equilibro de forma muito natural, eu enxergo muito como as pessoas se comportam em cada música que canto no meu show e a partir disso vou selecionando.

Victor Hugo Cavalcante: O repertório do show Na Luz inclui autorais de um álbum inédito. Como foi o processo de criação dessas músicas e o que os fãs podem esperar em termos de estilo e mensagem nas novas composições?

Foi um processo longo, mas muito bem aproveitado.

Eu simplesmente não sou a pessoa que era quando iniciei essa fase.

E isso é incrível, porque vejo o amadurecimento das letras e melodias em cada canção.

As pessoas podem esperar muita lágrima e choro, brincadeira.

Mas elas acessarão um lado meu vulnerável, dramático e verdadeiro.

Como uma boa canceriana, eu sinto bastante e felizmente consigo transformar meu sentimento em música.

Victor Hugo Cavalcante: O álbum inédito, com produção de Luiz Lopez, está gerando expectativas entre seus fãs. Pode nos dar uma prévia do que podemos esperar em termos de sonoridade e temas abordados nas músicas?

Sons incríveis, eu estou amando esse processo de criação e o Luiz Lopez me ajuda muito!

Tem influência do pop e da MPB nas músicas.

Os temas são questões amorosas que deram certo, errado, e até questões próprias minha.

Está lindo, tenho certeza de que todos vão gostar e se emocionar muito!

Crédito da foto: Samanta Toledo

(Visited 5 times, 1 visits today)
Close
Pular para o conteúdo