Written by 07:29 Lifestyle, Notícias, Saúde e medicina, Tecnologia Views: 9

Médica brasileira desenvolve nanotecnologia no Canadá

Inovação de Mariana Maciel, CEO e diretora médica da Thronus Medical, rendeu integração à Society of Cannabis Clinicians e prêmios.

Foto da médica brasileira Mariana Maciel, CEO e diretora médica da Thronus Medical.

No início de 2018, Mariana Maciel, uma médica brasileira, chegou ao Canadá “de mala e cuia”.

Após se formar na Faculdade de Medicina de Barbacena e exercer a medicina no Brasil, Mariana optou por mudar de país para ter acesso a outras realidades na área da saúde, visando incluir mais repertório e conhecimento à prática médica.

Em Vancouver, trabalhou em uma clínica de medicina que utilizava cannabis no tratamento de seus pacientes, e suas convicções sobre a planta mudaram.

“Eu era totalmente contra a cannabis, achava que fazia mal, tinha a visão da ‘maconha’ do jeito negativo, do preconceito enraizado”, conta.

“Mas eu vi, com meus próprios olhos, coisas impressionantes que os fármacos à base da planta são capazes de fazer pelo paciente. Vivenciei pequenos milagres, e fui estudar a planta”, conta a médica.

Imersa em informações científicas e estudos clínicos, Dra. Mariana descobriu que apenas cerca de 6% a 8% dos princípios ativos das substâncias extraídas da planta cannabis sativa atingem a circulação sistêmica dos humanos, o que significa que existe uma perda grande do potencial terapêutico dos fármacos à base de cannabis.

“São números baixos para o tamanho do potencial da cannabis. Eu, como médica, e decidi que iria atrás de respostas, e percebi que tínhamos um grande desafio: aumentar a biodisponibilidade desses princípios ativos pelo corpo humano”, explica Dra. Mariana.

Dra. Mariana, então, montou uma equipe de cientistas e médicos e liderou estudos baseados na nanotecnologia aplicada à medicina para maximizar os ativos da planta.

Depois de dois anos em laboratório, surgiu a PowerNano™ tecnologia exclusiva e inédita.

Considerada revolucionária, a PowerNano™ possibilitou a redução de partículas de cannabis a cerca de 17 nanômetros, além do encapsulamento dessas moléculas em uma solução hidrossolúvel, uma conquista científica inédita até então.

Na prática, o fármaco aumenta a absorção efetiva dos princípios ativos, e pode ser até 10 vezes maior e mais rápida.

Não apenas o tempo de início de ação cai de 2 horas para 30 a 10 minutos, como também a biodisponibilidade pode chegar a 80%, a depender do ativo.

E como isso acontece?

Dra. Mariana responde:

“Sabemos que os óleos de CBD tradicionais têm baixa absorção porque se diluem pouco no aparelho digestivo. Nosso organismo, que é constituído principalmente de água, tem dificuldade em absorver óleos. Além disso, os óleos de CBD tradicionais são compostos por moléculas grandes que, somado à alta metabolização hepática dos princípios ativos, se tornam mais um dificultador para uma boa absorvência”.

Segundo a médica, essas complexidades metabólicas são importantes catalisadores das pesquisas que sua equipe vem desenvolvendo há anos, “sempre buscando soluções inovadoras para levar a máxima eficiência e derrubar as barreiras à adoção do tratamento com cannabis medicinal”, finaliza.

A inovação científica rendeu à Dra. Mariana a integração à Society of Cannabis Clinicians, uma organização sem fins lucrativos norte-americana dedicada a educar profissionais de saúde sobre o uso médico da cannabis.

A médica também foi listada pela Kaya Mind, entidade que é autoridade quando o assunto é dado e informações sobre o mercado de cannabis no mundo, como executiva referência no setor em 2023.

Frente InvestBrasil

A Thronus Medical, biofarmacêutica canadense liderada pela Dra. Mariana Maciel, faz parte do Frente InvestBrasil, iniciativa do Senado Federal que fortalece investimento estrangeiro em infraestrutura científica focada em nanotecnologia, biotecnologia e tecnologia de informação.

Fábrica na República Tcheca

A Thronus Medical atualmente produz cinco tinturas com nanofármacos e um intranasal, além de dois produtos soft mastigáveis.

Além disso, a empresa está atualmente desenvolvendo mais duas tinturas e conduzindo pesquisas para um novo produto, que deverá passar pelo estágio final de desenvolvimento ainda este ano.

A Thronus possui instalações de cultivo e genética vegetal na República Tcheca para atender aos mercados brasileiro e europeu e um laboratório parceiro em Seattle para distribuição nos Estados Unidos.

(Visited 9 times, 1 visits today)
Close
Pular para o conteúdo