Written by 09:19 Notícias, Política, Social Views: 1

Estratégia de interiorização no Brasil beneficia mais de 100 mil venezuelanos

A estratégia lançada em 2018 como parte da Operação Acolhida, uma resposta humanitária do governo brasileiro à chegada de pessoas refugiadas e migrantes venezuelanas, é apoiada pela Plataforma de Coordenação Interinstitucional para Refugiados e Migrantes da Venezuela (R4V), coliderada pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e pela Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Uma estratégia inovadora no Brasil para realocar voluntariamente pessoas refugiadas e migrantes venezuelanas do estado fronteiriço de Roraima para outras cidades brasileiras beneficiou mais de 100.000 pessoas desde que foi lançada, cinco anos atrás, conforme relatado pelo Ministério do Brasil de Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome.

Isso equivale a quase um quarto dos 425 mil venezuelanos que vivem no Brasil.

Indivíduos e famílias foram realocados do isolado estado de Roraima, no norte do país, para mais de 930 cidades brasileiras, onde encontram melhores oportunidades para desenvolver significativamente sua qualidade de vida, contribuírem para o desenvolvimento local e alcançar autonomia e integração.

Cerca de 40% dos beneficiários são mulheres e 39% são crianças.

Em 2021, uma pesquisa com 2.000 pessoas venezuelanas que participaram da estratégia constatou que eles tiveram mais acesso a empregos formais, moradia e programas de educação após serem interiorizados e oito em cada 10 adultos encontraram emprego ou iniciaram seus próprios negócios.

“A estratégia de interiorização garante proteção e inclusão, proporcionando meios eficazes para as pessoas venezuelanas no país recomeçarem suas vidas com dignidade. Por meio de uma estreita colaboração entre várias instituições e organizações, a interiorização representa uma solução eficaz e um modelo para a região e para o mundo”, disse Davide Torzilli, representante do ACNUR no Brasil.

Antes de seguirem para outras cidades, os venezuelanos que participam voluntariamente da estratégia de interiorização são documentados, inclusive com a Carteira Nacional de Trabalho e o Cadastro de Pessoa Física (CPF).

Eles também estão devidamente vacinados conforme o calendário nacional de imunização.

“Fortalecer e melhorar a inclusão por meio da estratégia de interiorização é fundamental para quem decidiu ficar no Brasil. Com o apoio de governos locais, organizações da sociedade civil e setor privado, é possível promover uma inclusão duradoura, permitindo que os venezuelanos quebrem estereótipos, criem soluções e contribuam para o desenvolvimento das comunidades de acolhimento”, destacou Stéphane Rostiaux, chefe de Missão da OIM Brasil.

A estratégia de interiorização oferece novas oportunidades e promove a integração, ajudando as pessoas a encontrar novos meios de trabalho ou a se reunir com familiares ou amigos em outras partes do país.

A estratégia de interiorização e a Operação Acolhida contam com o apoio da Plataforma de Coordenação Interinstitucional para Refugiados e Migrantes da Venezuela (R4V), coliderada pela Agência da ONU para Refugiados (ACNUR) e pela Organização Internacional para as Migrações (OIM), com a participação de 55 organizações da sociedade civil e outras agências da ONU no Brasil.

Organizações da sociedade civil e municípios que recebem as pessoas venezuelanas interiorizadas também apoiam a iniciativa.

(Visited 1 times, 1 visits today)
Close
Pular para o conteúdo