Written by 07:18 Lifestyle, Notícias, Saúde e medicina Views: 3

Como evitar LER e distúrbios osteomusculares?

Médico do Hospital Edmundo Vasconcelos destaca que é importante prevenir as dores, buscando as condições mais adequadas para o trabalho.

Foto de uma pessoa segurando o pulso de uma das mãos.

O dia 28 de fevereiro é o Dia Mundial de Combate às LER (Lesões por Esforços Repetitivos) e às Dort (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho), data instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para a conscientização sobre esses males que fazem parte do mundo do trabalho.

As LER/Dort são, conforme o Ministério da Saúde, os “danos decorrentes da utilização excessiva do sistema que movimenta o esqueleto humano e da falta de tempo para recuperação”.

O termo LER é mais conhecido do grande público e se refere à sobrecarga após a realização de um mesmo movimento por muitas vezes.

Porém, nem sempre essas queixas causam lesões propriamente ditas, conforme explica o ortopedista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Leandro Yoshinobu.

“Existem outras situações de sobrecarga, que não são por esforços repetitivos, como atividades que exijam contração muscular de forma estática por muito tempo, sobrecarga por peso excessivo, dores relacionadas a má postura ou ergonomia inadequada. Para englobar essas situações surgiu o termo DORT que é mais amplo”, ressalta ele.

Os principais sintomas desses dois males são as dores nos braços, mãos e outras partes do corpo usadas no trabalho.

Segundo o especialista, as dores podem melhorar com o descanso no começo, mas se não forem tratadas podem piorar e pode ser necessário realizar outras intervenções além do repouso como fisioterapia, infiltrações e cirurgias.

Para evitar essas dores, o médico destaca três pontos principais: fazer exercícios regulares, ter um ambiente de trabalho confortável (boa ergonomia) e fazer pausas regulares para descansar.

“Manter uma atividade física regular é o principal fator, pois deixa a musculatura mais preparada para aguentar uma carga maior. Um bom condicionamento físico também causa um aumento no limiar de dor, ou seja, para sentir dor, a pessoa precisa normalmente de um estímulo maior que em pessoas sedentárias. Uma ergonomia adequada no ambiente de trabalho diminui consideravelmente a sobrecarga musculoesquelética. Já as pausas periódicas são importantes para ‘descansar’ e alongar a musculatura de tempos em tempos”, avalia.

Ele também alerta que, em casos de sobrecarga por peso excessivo, também é válido pensar em dispositivos que auxiliam na distribuição da força (como sistema de pólias e alavancas), além de pedir ajuda dividindo a carga com outras pessoas.

O ortopedista avalia que quase todo mundo está propenso a desenvolver alguma DORT, mas que alguns trabalhos podem oferecer fatores de risco, como aqueles que exigem a realização de um mesmo movimento por tempo prolongado (como linha de montagem de produtos ou digitação excessiva), trabalhos em locais com ergonomia inadequada ou que exijam o carregamento de muito peso.

Por fim, Leandro destaca que o principal é realizar a prevenção, mas que é importante procurar um médico se houver uma dor já estabelecida.

“É importante procurar um médico para definir um diagnóstico e decidir a melhor estratégia de tratamento. Para esses casos, acredito que os profissionais mais capacitados são os médicos do trabalho, ortopedistas, fisiatras e reumatologistas”, finaliza.

(Visited 3 times, 1 visits today)
Close
Pular para o conteúdo